Festa Nacional da Música - DE 18 A 23 DE OUT

Artistas / Homenageados


Thiago Arancam

Dono de uma voz poderosa, o brasileiro Thiago Arancam é considerado um dos maiores tenores da atualidade. O tenor já se apresentou na Festa Nacional da Música em outros anos e, nessa edição, sobe à Serra Gaúcha para receber homenagem especial.

Bacharel em canto erudito pela Faculdade de Música Carlos Gomes de São Paulo, começou os estudos no Brasil, na Escola Municipal de Música de São Paulo. A música arrebatava o pequeno Thiago Arancam de forma quase simbiótica. O caminho para os palcos da Europa foi aberto em 2004, após vencer o Concurso Internacional de Canto Erudito Bidu Sayão, que lhe garantiu acesso na conceituada Academia de Canto Lírico do Teatro Alla Scala, de Milão, onde se formou em canto lírico, em 2007.

Thiago Arancam se apresentou nos principais teatros do mundo, em mais de 40 países. Destaque para o Alla Scala (Milão), Ópera de Roma (Itália), Ópera Nacional de Washington (EUA), Ópera Estadual de Viena (Áustria), Deutsche Ópera de Berlim (Alemanha), Bolshoi (Moscou), além de inúmeras produções no Japão, Emirados Árabes, Malásia, Canadá, Espanha, França, Polônia, Letônia, Mônaco e Reino Unido. Foram mais de 500 apresentações ao redor do mundo.

No Brasil, em 2011, subiu ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a montagem da ópera "Tosca”, de Puccini, no papel do pintor Mario Cavaradossi, amante de Floria Tosca. Em 2014, no Theatro Municipal de São Paulo, encenou a Ópera Carmen de Bizet. Na Europa, conheceu Plácido Domingo, com quem gravou “Cyrano de Bergerac”, na São Francisco Opera (USA); “Madame Butterfly”, em Washington e “Carmen”, na Los Angeles Opera. Trabalhou com grandes regentes de orquestra, entre eles: Daniel Harding em vários concertos com a Swedish Radio Symphony Orchestra; Christian Thielemann em “Dresden” na Manon Lescaut, Pier Giorgio Morandi na ópera “Tosca” em Las Palmas e Estocolmo; o brasileiro Silvio Barbato com a Orquestra Camerata Brasil em Brasília, João Carlos Martins, Plácido Domingo, Julius Rudel, Lorin Maazel, Nicola Luisotti, Patrik Fournellier, Renato Palumbo, Corrado Rovaris, entre outros.

De volta ao Brasil, Thiago Arancam quer reencontrar suas raízes e mostrar a força e a emoção da sua voz ao público do país onde nasceu. Seus mais recentes álbuns são: "Bela Primavera" (2017), que deu origem ao espetáculo homônimo, que viaja pelo país a partir de setembro de 2018; e "This is Thiago Arancam"(2018). Ambos trazem as influências do mundo lírico e aproximam o tenor da Música Popular Brasileira.

Em paralelo ao trabalho de “Bela Primavera” e o lançamento de "This is Thiago Arancam", o cantor segue com sua rotina de apresentações em diferentes países, entre eles Rússia, Lituânia, Estados Unidos e Austrália, com as óperas Madame Butterfly, Manon Lescaut, Turandot, Tosca e Carmen. E também lançou o clip da música Delírio, gravado em Pittsburgh, na Pensilvânia.

Atualmente, Thiago Arancam é também protagonista da versão brasileira de "O Fantasma da Ópera", o musical já visto por mais de 140 milhões de pessoas em todo o mundo e que faz temporada no Teatro Renault, em São Paulo, até o fim de julho de 2019. Thiago leva para sua turnê o clima e a emoção do musical da Broadway. O repertório conta com “The Phantom of The Opera” e o tema do Fantasma da Ópera, “All I Ask of You”: “ter as músicas da peça no meu show é uma forma de unir o projeto Bela Primavera com essa fase da minha carreira”, explica o tenor.

Em seus shows, canções como “Ave Maria” e “Bella Ciao”, o hino da resistência italiana na Segunda Guerra Mundial, popularizada atualmente pela série espanhola "La casa de papel". “Eu tenho uma história muito forte ligada à Itália. Meu filho é italiano e eu vim de escola de origem italiana. Essa música me acompanha há muito tempo", explica o tenor.

O repertório traz ainda “How Can I Go”, música imortalizada por Freddie Mercury e Montserrat Caballé e “Can´t Help Falling in Love”, de Elvis Presley. “São músicas que me marcaram, algumas delas eu cantava no início da carreira e outras evidenciam as influências da minha formação musical”, explica Arancam, que ainda mostra as influências do mundo lírico nos clássicos da ópera “Nessun Dorma”, “Com Te Partiro” e “Il Mondo”.

Cadastre-se para
saber mais