Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer apresenta:

Festa Nacional da Música - De 21 a 24 de Out

Releases da Festa

Dinho Ouro Preto comemorou a premiação com outros músicos que subiram ao palco. (Graça Paes/Especial) Dinho Ouro Preto comemorou a premiação com outros músicos que subiram ao palco. (Graça Paes/Especial) Clique aqui para baixar a imagem em alta resolução

Emoção toma conta da noite de homenagens da Festa da Música

Quinze atrações receberam o troféu e interpretaram alguns de seus clássicos em um salão lotado no Hotel Dall’Onder, em Bento Gonçalves

A noite de homenagens da Festa Nacional da Música foi marcada por uma palavra que significa muitas: emoções. Foi de gratidão de Mumuzinho e Mano Changes aos precursores da música negra, como Fundo de Quintal e Mestre Robson Miguel. Foi de amor entre Sérgio Reis e Ângela Bavini ou de Léo Pain por sua família. E foi a noite de muita amizade entre tantos parceiros, como Gabriel O Pensador, Capital Inicial, Léo Chaves e Peninha.

Antes, a Festa foi aberta com uma superbanda gaúcha formada por Tchê Guri, Tatiéli Bueno, Thomas Machado, Cristiano Quevedo e Berenice Azambuja. Eles executaram um pout-pourri de clássicos do cancioneiro gauchesco.

A banda antecipou ainda os prêmios ao Galpão Crioulo, recebido pela diretora da RBS Alice Urbim, e a Neto Fagundes, que recebeu de Antônio Villeroy. O cantor ainda aproveitou o acompanhamento e interpretou o “Canto Alegretense”.

“Não tenho como não lembrar do criador do Galpão e meu tio, Nico Fagundes, que recebeu aqui a homenagem. Este troféu é dedicado a ele e vai para um lugar especial no meu coração”, disse.

Tato, vocalista do Falamansa, entregou para Frank Aguiar a homenagem da Festa. Depois, Liomar, ex-Pique Novo, foi o escolhido por Mumuzinho para repassar o troféu a ele.

“Talento Deus dá. Na vida, o que a gente tem que ter é gratidão. Por isso escolhi receber deste parceiro que me deu a primeira oportunidade”, afirmou, antes de agradecer e interpretar canções de Arlindo Cruz, Alcione e Fundo de Quintal.

Michael Sullivan homenageou o cantor gospel Davi Sacer, e Sérgio Loroza entregou o troféu para Mestre Robson Miguel. O violonista interpretou de “Wave” a “Stairway to Heaven” e ainda executou uma versão em três vozes para “Ave Maria”. No fim, foi aplaudido de pé.

Sérgio Reis deu o troféu nas mãos da esposa, Ângela Bavini, e convidou Peninha para o trio interpretar “Alma Gêmea” e, depois, “Pra Você”. Northon Vanalli, da Sonotec Music & Sound, entregou o prêmio ao produtor Neto Schaefer, a mente por trás das principais gravações do sertanejo atual.

Em seguida, Lucas, da Fresno, sentou-se ao piano para executar “Evidências” e acompanhar a nova voz do Brasil: Léo Pain, o vencedor da última edição do "The Voice Brasil". O cantor recebeu o troféu de Rosemary e agradeceu à família, emocionado. O vocalista da banda gaúcha seguiu no palco para acompanhar a Comunidade Nin-Jitsu em “Detetive” e “Quero Te Levar”.

“A Festa é a prova concreta que artista não vive de ego. O que tu fazes, Fernando, é sinônimo de felicidade”, definiu Mano Changes, citando Fernando Vieira, o presidente da FNM.

Sandra de Sá deu um abraço apertado em Paulo Junqueiro, presidente da Sony Music Brasil, em agradecimento a ele pela oportunidade de crescer como artista. O presente foi uma versão a cappella de “Soul de Verão”. Outro presente foi de Paulo Massadas e Carlos Colla a Peninha. Ele retribuiu interpretando “Sonhos” e “Sozinho”, música considerada brega e que, graças a ele, rompeu barreiras na MPB.

“Havia esse preconceito. Ele foi o primeiro link entre a música popular e a MPB. Você é nosso herói, Peninha”, comoveu-se Massadas.

Nando Cordel foi o responsável por entregar o troféu a Léo Chaves, da dupla Victor & Léo. O cantor dedicou o prêmio ao irmão, mencionou ainda as presenças de ídolos como Sérgio Reis e Flávio Venturini e agradeceu a Fernando Vieira pelo incentivo da música com o evento:

“Onde eu estiver, meu irmão vai estar comigo, e Victor & Léo estará representado”, lembrou, antes de interpretar “Iolanda” e “Menino da Porteira” ao lado de Sérgio Reis — que interpretará no teatro. Na canja, interpretou “Borboletas”.

Gabriel O Pensador foi o escolhido para chamar ao palco Bira, Ubirany, Sereno e todo o grupo Fundo de Quintal. Antes mesmo de subirem ao palco, o público já aguardava de pé para cantar junto seus clássicos: “Boca Sem Dente”, “A Amizade”, “O Show Tem que Continuar”, “Miudinho meu Bem, Miudinho” e “Nosso Grito”. Não demorou muito e vários artistas, como Sandra de Sá, Rosemary, Mumuzinho e muitos outros, subiram também ao palco.

No fim, Dinho Ouro Preto recebeu a homenagem em nome do Capital Inicial das mãos de Tico Santa Cruz. Eles, Vitor Kley, Japinha, Carlinhos Carneiro e integrantes do Barão Vermelho e do Detonautas interpretaram “Primeiros Erros”, “A Sua Maneira” e “Tempo Perdido”.

“Dedico ao Yves, ao Fê e ao Flávio. A gente queria que, quando falássemos da música popular brasileira, falássemos do rock também. E foi isso que aconteceu”, falou.

A Festa encerrou com Tico Santa Cruz pedindo a inclusão e um pacto pela defesa da democracia do país.

Festa Nacional da Música - De 21 a 24 de outubro, a Festa Nacional da Música reúne artistas e profissionais do setor em shows e debates em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. Todos os ritmos estarão representados na programação que conta com artistas de todo o país.

Cidade da Música/Festa da Música - De 11 a 18 de outubro, a música tomou conta de ruas, parques, asilos e outros locais públicos da capital gaúcha durante o roteiro gratuito da Festa Nacional da Música. A programação completa do evento está no site festanacionaldamusica.com.br/2018

Confira fotos em alta resolução no link abaixo:
 http://festanacionaldamusica.com.br/2018/index.php/fotos#init


Voltar

 assessoria de imprensa

Fone: +55 51 3325-6249

Cadastre-se para
saber mais